Sábado, 15 de Julho de 2006

Mesa redonda com doadores a 7 e 8 de Novembro, em Genebra

mesa redonda.jpg

A mesa-redonda sobre a Guiné- Bissau na qual o país espera obter
cerca de 600 milhões de dólares (471 milhões de euros) vai decorrer a
07 e 08 de Novembro próximo, em Genebra, Suiça, anunciou hoje o
primeiro- ministro guineense.

Projectada e muitas vezes adiada desde finais de 2003, a mesa-redonda
é tida como "última tábua de salvação" para a captação de fundos
adicionais para o relançamento da economia e desenvolvimento da Guiné-
Bissau, conforme hoje sublinhou o próprio primeiro-ministro,
Aristides Gomes.

O chefe do executivo de Bissau anunciou a data da mesa-redonda
durante um seminário que decorre em Bissau para a validação do
Documento de Estratégia Nacional para a Redução da Pobreza (Denarp).

Afirmando-se confiante na data, Aristides Gomes pediu à classe
politica guineense que ajude o país no sentido de evitar convulsões
ou situações de conflitualidade que possam perigar a mesa-redonda.

"Esperamos que a paz reine e a tranquilidade seja uma realidade para
que nada aconteça no sentido de perturbar a realização da mesa-
redonda na data marcada", exortou Aristides Gomes.

Segundo o chefe do governo de Bissau, até Novembro, o país terá todos
os documentos necessários para apresentar aos doadores, a começar
pelo Denarp, documento que congrega quatro eixos de acção para o
combate à pobreza que em certos casos é considerada de extrema na
Guiné-Bissau e o documento orientador do programa de reforma à nível
das Forças de Defesa e Segurança.

O Denarp custará 400 milhões de dólares enquanto o programa de
reforma nas Forças de Defesa e Segurança 200 milhões.

O governo de Bissau adoptou, em 2004, o Denarp como modelo orientador
para todas as acções de combate ou redução da pobreza no país,
contando que qualquer recurso financeiro proveniente do financiamento
externo terá que ser canalizado para estratégia.

De acordo com fonte do Ministério da Economia guineense, que controla
o sector do planeamento e coordenação das ajudas externas, desde 1998
que a Guiné-Bissau deixou de executar Programas de Investimento
Público (PIP).

A mesa-redonda seria o cenário para alterar esse quadro. Os fundos a
mobilizar no encontro seriam canalizados para programas de redução da
pobreza, construção de infra- estruturas, as reformas na
administração pública e relançamento da actividade económica,
interrompida com a guerra civil de 1998/99.

Enaltecendo a importância do Denarp para o futuro imediato da Guiné-
Bissau, o primeiro-ministro e o ministro da Economia, Issuf Sanhá,
sublinharam a determinação do governo em realizar uma série de acções
que vão transformar num sucesso a mesa-redonda de Novembro.

Para já, os dois governantes apontaram como meta urgente a aprovação
do Orçamento Geral de Estado (OGE) para 2006, ainda envolto em
polémica no parlamento, a que se junta a criação de um ambiente
favorável ao negócio, sobretudo, de capital estrangeiro, e o combate
à corrupção.

Noticias Lusofonas
11-Jul-2006




publicado por jambros às 11:37
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. ...

. Tajudeen Abdul-Raheem pos...

. PAIGC: uma história de co...

. A última Imagem da Guiné:...

. Amílcar Cabral, na pele d...

. Sobre "A Hora da Verdade"...

. Olhares de fora - A mudan...

. As próximas décadas - Ten...

. Bissau

. ...

.arquivos

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds