Domingo, 21 de Maio de 2006

Manecas Costa: um músico virtuoso

AfricaFestival1p.jpg
Manecas Costa


Manecas Costa nasceu em 1967, em Cacheu, Guiné-Bissau. Em criança, teve a felicidade de conhecer José Carlos Schwarz, o mais importante músico da Guiné-Bissau. Desse encontro que o inspirou a pegar na guitarra, Manecas começou a tocar com 9. Juntamente com o seu irmão mais velho, Nelson, criou o grupo “Africa-Livre”. Aos 10 anos foi convidado a colaborar com a Orquestra ARAGON. AUTODIDACT. Na adolescência, Manecas Costa era já uma figura conhecida pela sua formidável técnica na guitarra acústica e baixo eléctrico e também pelas suas composições, cujo conteúdo exaltam as tradições e assuntos que preocupam os guineense e a Guiné-Bissau: situação das crianças, das mulheres, etc.

Em 1987, foi convidado a participar no festival anual “Découverte”, organizado pela Radio France Internacional, um importante showcase para os novos talentos de África, das Caraíbas e Pacífico, marcando a sua primeira exposição internacional. No mesmo ano, com 20 anos de idade, foi nomeado Embaixador da Boa Vontade pela UNICEF. É nesta fase que participa em vários festivais em Cabo Verde, Angola, Itália, Portugal e Correia do Norte.

Em 1990, decide radicar-se em Lisboa e grava com o apoio da UNICEF o “Mundo di Femia”, o seu primeiro álbum a solo. Este sucesso lança-o numa nova carreira de produtor, bem como de cantor e compositor, produzindo muitos discos de artistas africanos residentes em Portugal. Foi guitarrista de Waldemar Bastos e trabalhou de perto com Bana, Paulino Vieira e Sara Tavares, tendo igualmente gravado com muitos músicos internacionais.

Produziu o seu segundo álbum “Fundo di Matu” nos estúdios da EMI, em Lisboa e dois dos temas foram incluídos na compilação Palop África (Stern’s music,2001). “Paraiso di Gumbe”, que, produzido por Lucy Duran e Jerry Boys, veio à público em Maio de 2003 pela editora BBC Late Junction, tendo sido gravado parcialmente num estúdio móvel na Guiné-Bissau e em Londres, nos estúdios Livingston. É um álbum acústico e eléctrico que explora os sons vibrantes da Guiné-Bissau, conjugados com a sua inimitável voz e forma de tocar, bem como algumas das suas composições originais mais sublimes.

publicado por jambros às 16:08
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. ...

. Tajudeen Abdul-Raheem pos...

. PAIGC: uma história de co...

. A última Imagem da Guiné:...

. Amílcar Cabral, na pele d...

. Sobre "A Hora da Verdade"...

. Olhares de fora - A mudan...

. As próximas décadas - Ten...

. Bissau

. ...

.arquivos

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds